EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Trump poderá modificar lei Obamacare à terceira tentativa

Trump poderá modificar lei Obamacare à terceira tentativa
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma iniciativa possível depois de vários Republicanos no Congresso terem decidido votar a medida, ao contrário do que fizeram anteriormente.

PUBLICIDADE

Com agências

Nos Estados Unidos, os Republicanos no Congresso (câmara baixa), querem levar a cabo, esta quinta-feira, um voto para eliminar a Lei de Proteção e de Cuidados de Saúde ao Paciente, conhecida como Obamacare.

Uma iniciativa possível depois de vários Republicanos terem decidido votar a medida, ao contrário do que fizeram anteriormente.

The American Health Care Act provides significant resources at the federal & state levels for risk-sharing programs that lower premiums.

— Paul Ryan (@SpeakerRyan) 4 de maio de 2017

Espera-se, em Washington, que, com o novo posicionamento de alguns representantes, a lei seja modificada. O fim da lei Obamacare foi uma das grandes promessas do presidente Trump durante a campanha para as presidenciais.

Depois de eleito, o presidente dos Estados Unidos procurou apoios no Congresso. No entanto, as tentativas de aprovação da nova lei de cuidados de saúde falharam duas vezes.

A lei de cuidados de saúde do presidente Barack Obama entrou em vigor em 2010. Graças à medida, cerca de 15% da população dos Estados Unidos passou a ter acesso a seguro de saúde.

Mas, para os Republicanos, a lei tem custado demasiado ao Governo Federal. Por isso, a nova Lei Americana de Cuidados de Saúde, como é conhecida, prevê cortes no seguro de saúde para os mais pobres, o Medicaid.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden chama nações "xenófobas" à Índia e Japão

EUA: estudantes universitários são presos por protestos pró-palestinos

Mike Pence: "A maioria dos norte-americanos acredita no nosso papel de líderes do mundo livre"