Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Presidenciais França: Passagem de poder de Hollande para Macron deve acontecer no próximo domingo

Presidenciais França: Passagem de poder de Hollande para Macron deve acontecer no próximo domingo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O ainda presidente e o próximo presidente juntos. No primeiro ato público logo após vencer as eleições francesas, Emmanuel Macron juntou-se a Hollande para homenagear as vítimas da 2ª Grande Guerra Mundial, no dia em que se comemora o fim do conflito, em 1945.

A passagem do poder do Presidente cessante, François Hollande, para o Presidente eleito Emmanuel Macron deve ocorrer no próximo domingo, dia 14 de maio.

Entretanto, o Ministério do Interior francês divulgou os resultados definitivos da segunda volta das eleições presidenciais: Macron venceu com 66,1% dos votos; Marine Le Pen chegou aos 33,9%. Destaque ainda para um resultado recorde da abstenção: 25,44%

Macron somou os votos de 20,7 milhões de eleitores. O centrista e antigo ministro da Economia de Hollande obteve o melhor resultado em Paris, próximo dos 90%. Nos departamentos circundantes de Hauts-de-Seine e Val-de-Marne, ultrapassou os 80%.

Já a líder da Frente Nacional, partido considerado de extrema-direita em França, recebeu o apoio de 10,6 milhões. Os melhores resultados de Marine Le Pen registaram-se em Aisne e Pas-de-Calais, no norte de França: as percentagens da candidata superaram os 52%.

O enviado da euronews a Paris, Olivier Peguy, lembra que “já conhecemos o nome do próximo morador do Palácio do Eliseu. Agora as atenções centram-se noutro palácio da República, o Palácio Bourbon onde está a Assembleia Nacional. Quem vai ocupar os lugares? Emmanuel Macron vai conseguir garantir uma maioria para governar? Isso vai decidir-se dentro de um mês nas eleições legislativas. Até lá começa uma nova campanha política”.