Última hora
This content is not available in your region

Trump não vai impedir Comey de testemunhar no senado

Trump não vai impedir Comey de testemunhar no senado
Tamanho do texto Aa Aa

O antigo diretor do FBI, James Comey, vai testemunhar, esta quinta-feira, 8 de junho, perante a comissão de informação do senado norte-americano e Donald Trump não vai impedi-lo.

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, confirmou aos jornalistas:
“O poder do presidente para usar o privilégio executivo é muito claro, no entanto, para facilitar uma avaliação rápida e minunciosa dos factos solicitados pela comissão de investigação do senado, o presidente Trump não vai usar o privilégio executivo quanto ao testemunho de James Comey”.

O “privilégio executivo” dá ao presidente o poder de impedir o testemunho do ex-patrão dos serviços secretos, mas seria visto como uma “confissão” de culpa.

Segundo alguns media americanos, para além do caso das supostas ligações da campanha de Trump com a Rússia, o ex-diretor do FBI deverá ainda falar das conversas privadas com Donald Trump, onde o presidente lhe terá pedido que arquivasse a investigação sobre o seu primeiro conselheiro de segurança nacional, Michael Flynn.

James Comey foi despedido por Donald Trump no dia 9 de maio, após várias controvérsias e um quase braço-de-ferro entre os dois. Muitos analistas viram no seu afastamento uma fora de impedir a investigação sobre as ligações com a Rússia.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.