Última hora

Última hora

Autoridades italianas indignadas com "praia fascista" em Veneza

Autoridades italianas indignadas com "praia fascista" em Veneza
Tamanho do texto Aa Aa

Uma praia privada de Veneza, assumidamente “antidemocrática” e com mensagens e símbolos fascistas indigna as autoridades italianas. A polícia ordenou esta segunda-feira a retirada dos cartazes da polémica praia “Punta Canna” de Chioggia, de imagens de Mussolini a frases homófobas e antissemitas, quando várias associações e políticos exigem o encerramento imediato da instalação e o julgamento do seu proprietário.

Para Enrico Veronese, vice-presidente da Associação de combatentes do fascismo ANPI, “Ele não está em casa, mas numa concessão do Estado, que tem regras, as regras da constituição antifascista, da resistência, e tem que respeitá-las se quer manter a concessão”.

O concessionário, Gianni Scarpa, de 64 anos, é acusado também de difundir discursos de Mussolini aos banhistas.

“Estou-me a borrifar, vou continuar na minha, ordem, disciplina, limpeza, não sou de esquerda nem de direita nem tenho medo da lei italiana”, afirma Scarpa.

A atual lei italiana prevê penas de até 6 anos de prisão por apologia do fascismo. O parlamento italiano começou hoje a discutir a introdução do crime de “propaganda fascista”, com penas de prisão de até 2 anos, agravadas se o delito for cometido na internet.