Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Qatar aberto ao diálogo para resolver a crise do Golfo

Qatar aberto ao diálogo para resolver a crise do Golfo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O emir do Qatar afirmou na sexta-feira estar pronto a dialogar, sob condições, para resolver a crise diplomática no Golfo, que opõe o país à Arábia Saudita e aliados.

“Estamos abertos ao diálogo para resolver os problemas”, declarou o xeque Tamim ben Hamad Al-Thani, num discurso transmitido pela Qatar TV, o primeiro desde o início da crise a 05 de junho.

A Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Egito cortaram, naquela data, relações diplomáticas com o Qatar, que acusaram de apoiar “o terrorismo” e de aproximar do Irão, grande rival regional do reino saudita. Estas quatro nações muçulmanas impuseram sanções imediatas a Doha e a 23 de junho juntaram um conjunto de 13 exigências, a serem cumpridas num prazo de 10 dias.




Os quatro países impuseram sanções imediatas a Doha e posteriormente apresentaram um conjunto de exigências, incluindo o encerramento da cadeia de televisão Al-Jazira, a redução das relações com o Irão e o encerramento de uma base militar da Turquia no Qatar.

Doha recusou as exigências apresentadas pelos quatro países árabes.

O chefe de Estado do Qatar apresentou agora duas condições para a resolução da crise: “o respeito da soberania e vontade de cada Estado”.

“Esta solução não pode assumir a forma de imposições, mas apenas de compromissos comuns e vinculativos para todas as partes”, sublinhou.




Texto: Lusa (EJ)
Edição: Francisco Marques