A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Semana da Aviação de Atenas

Semana da Aviação de Atenas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Atenas reúne desde há alguns anos esquadrilhas de vários países e alguns dos melhores pilotos, para um festival aéreo que atrai milhares de aficionados das máquinas voadoras ao aeroporto militar de Tanagra, a 70 km da capital grega: a Semana da Aviação.

A esquadrilha acrobática da Força Aérea britânica, “Red Arrows”, marcou presença mais uma vez com os monomotores a jato Hawk T1. O líder de esquadrilha Mike Ling conhece bem o país – em março de 2010 sofreu um acidente na ilha de Creta durante um treino, que o deixou alguns meses numa cadeira de rodas.

“Tenho tido uma carreira fantástica, participei até hoje em 630 exibições, com a equipa, e estive em 46 países com uma destas aeronaves vermelhas. É uma honra para mim representar a Força Aérea britânica e representar a Grã-Bretanha, gosto muito da Grécia, vimos aqui treinar todos os anos”, disse Ling.

Para além da equipa da Força Aérea grega, os Estrelas de Prata egípcios e a esquadrilha polaca, com os seus MIG29, colaram os olhos do público ao céu de Atenas.

“As reações das pessoas são para mim a melhor parte do espetáculo. É um prazer comunicar com as pessoas, o público fica muito feliz, as pessoas acenam aos pilotos, é sempre uma ótima experiência”, disse o piloto polaco Mikołaj Łysak, da Equipa de Acrobacia Aérea das Forças Aéreas da Polónia “MiG-29 Demo Team”.

O festival aéreo de Atenas já vai na sua sexta edição e é considerado um dos principais espetáculos aéreos do sudeste europeu.

“Pilotos de todo o mundo impressionaram com acrobacias e monobras aéreas milhares de espectadores que vieram aqui para assistir ao espetáculo aéreo da Semana da Aviação de Atenas”, relata a correspondente da euronews, Fay Doulgkeri.