EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Operação Marquês: José Sócrates acusado de 31 crimes

Operação Marquês: José Sócrates acusado de 31 crimes
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ministério Público diz que ex-primeiro-ministro acumulou 24 milhões de euros na Suíça "com origem nos grupos Lena, Espírito Santo e Vale de Lobo".

PUBLICIDADE

A Procuradoria-Geral da República revelou esta quarta-feira que o Ministério Público português deduziu acusação na Operação Marquês contra 28 arguidos. Desta lista faz parte José Sócrates. Ao ex-primeiro-ministro são imputados 31 crimes: três de corrupção passiva, 16 de branqueamento de capitais, nove de falsificação de documento e três de fraude fiscal qualificada. Num comunicado é explicado que Sócrates acumulou em contas na Suíça 24 milhões de euros “com origem nos grupos Lena, Espírito Santo e Vale de Lobo”.

Os advogados de José Sócrates garantem que a acusação é infundada e vão usar todos os meios para a rebater.

Para além do antigo chefe do governo, foram acusadas um total de 19 pessoas singulares e nove empresas. Destaque também para o ex-banqueiro Ricardo Salgado, os gestores Henrique Granadeiro e Zeinal Bava, o fundador do Grupo Lena Joaquim Barroca e o antigo ministro socialista Armando Vara.

Ricardo Salgado é acusado de 21 crimes (entre eles corrupção activa), Zeinal Bava de cinco e Henrique Granadeiro de oito. Armando Vara, por sua vez, é acusado de cinco crimes.

De acordo com o Departamento Central de Investigação e Acção Penal, o despacho final da Operação Marquês tem mais de 4000 páginas: para além da acusação, existem também nove despachos de arquivamento.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

José Sócrates volta a tribunal para segundo dia de interrogatório

Novo aeroporto em Alcochete vai chamar-se Luís de Camões e Alta Velocidade está a caminho

Chega acusa Presidente da República de "traição à pátria, coação e usurpação"