Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

"Breves de Bruxelas": Puigdemont, o preço do Brexit e os fundos comunitários

"Breves de Bruxelas": Puigdemont, o preço do Brexit e os fundos comunitários
Tamanho do texto Aa Aa

Sem autorização para usar o espaço do Centro da Imprensa Internacional, em Bruxelas, pertencente ao governo belga, Carles Puidgemont deu uma conferência de imprensa no pequeno Clube de Imprensa, que ficou a abarrotar.

O líder independentista catalão disse, terça-feira, que escolheu Bruxelas por ser, simbolicamente, a capital da União Europeia e não para pedir asilo à Bélgica. Contudo, tal permite-lhe escapar, por agora, ao processo judicial que enfrenta em Espanha.

Neste programa que passa em revista a atualidade europeia diária destacamos, ainda, a estimativa do Banco da Inglaterra de que 75 mil postos de trabalho poderão desaparecer, no setor dos serviços financeiros, após a saída da Grã-Bretanha da União Europeia.

Para terminar, recordamos o aviso da comissária europeia para a Justiça sobre o preço de não respeitar os valores fundamentais da União Europeia, numa alusão aos Estados-membros Polónia e Hungria, que recebem uma grande fatia dos fundos comunitários.

“Precisamos de ter a certeza de que os fundos comunitários estão protegidos. É por isso que, na minha opinião, devemos criar uma ligação mais forte entre o respeito pelo Estado de direito e os fundos de coesão. Os países sobre os quais tenhamos dúvidas ao nível do respeito pelo Estado de direito devem enfrentar um escrutínio e supervisão mais rigorosos”, disse Věra Jourová.