Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Brasil e Colômbia unem-se na homenagem à Chapecoense

Homenagem pelas vítimas da tragédia de 28 de novembro de 2016
Homenagem pelas vítimas da tragédia de 28 de novembro de 2016 -
Direitos de autor
REUTERS/Fredy Builes
Tamanho do texto Aa Aa

Colômbia e Brasil uniram-se esta terça-feira, 28 de novembro, para homenager as vítimas do trágico acidente de aviação de há exatamente um ano nas proximidades de Medellin.

A equipa do Chapecoense ia defrontar o Atlético Nacional, na primeira mão da final da Copa Libertadores.

Por falta de combustível o avião despenhou-se a escassos quilómetros de aterrar. Das 77 pessoas a bordo, morreram 71.

No Parque da União, em Antioquia, foi descerrada uma placa de homenagem pelas vítimas e foi encerrada uma cápsula do tempo, contendo camisolas, mensagens escritas e outros objetos, e que deverá ser reaberta daqui a 40 anos.

A placa oferecida pelo Atlético Nacional

Uma das mensagens foi escrita pelo presidente do Atlético Nacional. "Sentimos amor, afeto e temos uma relação muito próxima com os nosso amigos de Chapecó. Amigos que estão sempre próximos", manifestou Andres Botero Phillipsbourne durante a cerimónia em Antioquia.

De acordo com a TeleMedellin, o plano incial do emblema colombiano era descerrar a placa de homenagem às vítimas da tragédia na encosta onde se despenhou o avião, hoje denominado Serra Chapecoense após um acordo municipal de La Union.

O proprietário do terreno terá pedido cerca de 70 mil euros pela parcela necessária para a homenagem.

Horas depois da cerimónia em Antioquia, foi a vez dos brasileiros lembrarem as vítimas da tragédia.

Sem esquecer o apoio colombiano em algumas das tarjas, milhares de pessoas juntaram-se no estádio da Chapecoense.

Entre os presentes, esteve um dos seis sobreviventes do acidente, o jornalista Rafael Henzel.

"Nestes 365 dias eu só não falei do acidente nos quatro dias em que estive entubado na Colômbia", resumiu o sobrevivente.

Há um ano, o avião da chapecoense despenhou-se pouco depois das 10 da noite, hora de Medellin, eram já as primeiras horas de 29 de novembro em Brasília.

Esta quarta-feira, 29, foram também muitas as pessoas que se deslocaram à Serra Chapecoense, em Antioquia, para uma nova vigília pelos que ali perderam a vida h´a um ano.

O local foi preenchido com 71 cruzes, cada uma com a foto de uma das vítimas da tragédia.