EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Bolívia entra no Guinness com a maior rede de teleféricos do mundo

"Mi Teleferico" entra este ano para o livro de recordes do Guinness
"Mi Teleferico" entra este ano para o livro de recordes do Guinness
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

"Mi Teleferico" tem a operar cinco linhas e vai abrir mais quatro este ano, já liga mais de 17 quilómetros e em quatro anos transportou mais de 100 milhões de pessoas

PUBLICIDADE

A Bolívia detém a maior rede de teleféricos do Mundo e o feito vai ficar este ano consagrado pelo livro de recordes do Guinness, confirmou esta semana o presidente da Bolívia.

Evo Morales participou na viagem pré-inaugural da Linha Branca, a próxima linha da rede "Mi Teleferico" (tr.: "O Meu Teleférico") e pelas redes sociais mostrou-se "orgulhoso" pela entrada do projeto no Livro do Guinness.

"É uma referência mundial dos transportes de massas. Não só é o mais extenso, mas também o mais seguro, moderno, ecológico e económico na cidade mais elevada do mundo", sublinhou o líder boliviano.

A rede teleférica boliviana foi inaugurado em 2014, fechou o ano passado com cinco linhas a funcionar e tem mais quatro ligações previstas arrancar este ano.

A próxima é a já referida Linha Branca, que tem a inauguração prevista para março.

O "Mi Teleferico" pode transportar cerca de 150 mil passageiros por dia

As cinco linhas existentes cobrem uma extensão de 17,3 quilómetros e até ao final do ano passado a rede já tinha transportado mais de 106,9 milhões de passageiros.

Editor de vídeo • Francisco Marques

Outras fontes • Cambio

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Transformers" e cultura andina revolucionam arquitetura na Bolívia

353 bailarinas em pontas batem recorde mundial do Guiness

Navio de cruzeiro com 1500 passageiros retido em Barcelona porque 69 bolivianos têm vistos falsos