Última hora

Última hora

Reino Unido a um ano do Brexit

Em leitura:

Reino Unido a um ano do Brexit

Reino Unido a um ano do Brexit
Tamanho do texto Aa Aa

Dentro de um ano o Reino Unido vai deixar de ser membro da União Europeia.

No entanto, as sondagens de opinião sugerem que as diferenças de opinião relativamente a esta questão estão longe de ter desaparecido.

Foi na última cimeira europeia que terminou a 23 de março que o Reino Unido e a União Europeia chegaram a acordo para estabelecer um período de transição que terminará em dezembro de 2020.

Eis o roteiro do chamado Brexit:

22-23 de Março, 2018: Entre as questões que já contam com um acordo de princípio resultante da cimeira europeia conta-se o estatuto dos cidadãos europeus antes e após dezembro de 2020 assim como a política de pescas. De fora da equação permanece a fronteira entre a República da Irlanda e a Irlanda do Norte.

31 de Outubro, 2018: O principal negociador do lado da UE, Michel Barnier, afirma que as negociações devem estar terminadas antes de Outubro de forma a dar aos 27 países membros tempo para aprovarem o acordo final. Os deputados britânicos terão igualmente oportunidade de votar este acordo antes de março de 2019.

29 de março de 2019: dia do Brexit – o Reino Unido abandona a União Europeia à meia-noite, hora central europeia, 11 da noite no Reino Unido. Entra então em vigor período de transição que durará até ao final de dezembro de 2020.

31 de dezembro de 2020: o período de transição chega ao fim e começa a nova relação económica e política entre o Reino Unido e a União Europeia.

No referendo realizado no Reino Unido em 2016, 51,9% da população, ou seja 17,4 milhões de pessoas, votaram a favor da saída da União Europeia enquanto 48,1%, ou 16,1% votaram no sentido de permanecer.

Decorridos dois anos, não há sinais de que as divisões tenham desaparecido.

A organização britânica pró União Europeia, Best for Britain, lançou esta quarta-feira uma campanha nacional cujo objetivo seria obter um segundo referendo sobre o Brexit.

Mas a primeira-ministra, Theresa May, que assinala a data com um périplo pelo país, afirmou esta quarta-feira que o governo iria cumprir as promessas feitas após o resultado do referendo.

"Tal como já disse, foi realizado um referendo, as pessoas expressaram os seus pontos de vista e agora vamos cumprir o prometido", afirmou Theresa May no Parlamento britânico.