Última hora
This content is not available in your region

Mais de 350 mortos em três meses de sangrenta crise na Nicarágua

euronews_icons_loading
Mais de 350 mortos em três meses de sangrenta crise na Nicarágua
Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 350 mortos em três meses de sangrenta crise na Nicaragua. A este balanço juntam-se os milhares de feridos e as centenas de detidos.

Os confrontos começaram em cidades como Masaya, durante os protestos contra o governo, governo que respondeu colocando o exército e forças de segurança nas ruas.

A polícia e grupos paramilitares celebraram a tomada da cidade, como se se tratasse de uma guerra cívil.

Mas os paramilitares garantem que não estão a agir sob as ordens do presidente Daniel Ortega e que só estão a lutar pela liberdade. Além disso, não querem promover a violência...só não querem que haja uma contra revolução sandinista.

As imagens da violenta operação de limpeza de Masaya foram vistas em todo o mundo...e geram uma reações internacionais.

Várias organizações de defesa dos direitos humanos alertam para a necessidade de acabar com a violência.

Recorde-se que em 1979, o Presidente Daniel Ortega participou na revolução do país, agora muitos acusam-no de estar a ter mão demasiado pesada nestas manifestações e de se ter tornado num verdadeiro ditador.