Mais de 350 mortos em três meses de sangrenta crise na Nicarágua

Mais de 350 mortos em três meses de sangrenta crise na Nicarágua
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As imagens da violenta operação de limpeza de Masaya foram vistas em todo o mundo e geram uma reações internacionais. Várias organizações de defesa dos direitos humanos alertam para a necessidade de acabar com a violência.

PUBLICIDADE

Mais de 350 mortos em três meses de sangrenta crise na Nicaragua. A este balanço juntam-se os milhares de feridos e as centenas de detidos.

Os confrontos começaram em cidades como Masaya, durante os protestos contra o governo, governo que respondeu colocando o exército e forças de segurança nas ruas.

A polícia e grupos paramilitares celebraram a tomada da cidade, como se se tratasse de uma guerra cívil.

Mas os paramilitares garantem que não estão a agir sob as ordens do presidente Daniel Ortega e que só estão a lutar pela liberdade. Além disso, não querem promover a violência...só não querem que haja uma contra revolução sandinista.

As imagens da violenta operação de limpeza de Masaya foram vistas em todo o mundo...e geram uma reações internacionais.

Várias organizações de defesa dos direitos humanos alertam para a necessidade de acabar com a violência.

Recorde-se que em 1979, o Presidente Daniel Ortega participou na revolução do país, agora muitos acusam-no de estar a ter mão demasiado pesada nestas manifestações e de se ter tornado num verdadeiro ditador.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Presidente da Nicarágua garante que não abandona o cargo

Ortega diz-se "aberto ao diálogo" com intervenientes na crise nicaraguense

Nicaraguenses denunciam repressão governamental