Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

O Aquarius continua à espera de autorização para o desembarque dos 141 migrantes

O Aquarius continua à espera de autorização para o desembarque dos 141 migrantes
Tamanho do texto Aa Aa

O navio de resgate humanitário Aquarius continua à espera de autorização para o desembarque dos 141 migrantes resgatados na semana passada no mar Mediterâneo, depois da Itália e de Malta recusarem deixar o navio atracar.

Malta declarou não ter qualquer responsabilidade de oferecer porto seguro aos migrantes, já que não teve envolvimento na operação de resgate de sexta-feira, esta esteve a cargo do centro de coordenação e resgate da Líbia.

Por sua vez, a Itália recusou receber os migrantes pedindo ao Reino Unido que assuma responsabilidade e o faça, já que o navio navega sob a bandeira do território britânico de Gibraltar.

Já Gibraltar afirmou que irá revogar o registo do navio pois este está registado como navio de investigação e por isso está a violar a lei ao resgatar pessoas.

A organizações não governamentais SOS Mediterrâneo e Médicos sem Fronteiras, que estão a operar o navio, consideram a decisão de Gibraltar uma manobra com motivos políticos, afirmando que há dois anos e meio levam a cabo operações de resgate e nunca lhes foram levantados problemas.

A decisão de Gibraltar terá efeito até à próxima semana, depois da qual o navio reverterá à Alemanha porque o navio é de propriedade alemã. Caberá então à Alemanha decidir se o navio poderá ou não continuar a efectuar operações de resgate no Mar Mediterrâneo.

Por isso, o Aquarius corre agora o risco de ficar de vez em terra.