Última hora

Última hora

O Aquarius continua à espera de autorização para o desembarque dos 141 migrantes

O Aquarius continua à espera de autorização para o desembarque dos 141 migrantes
Tamanho do texto Aa Aa

O navio de resgate humanitário Aquarius continua à espera de autorização para o desembarque dos 141 migrantes resgatados na semana passada no mar Mediterâneo, depois da Itália e de Malta recusarem deixar o navio atracar.

Malta declarou não ter qualquer responsabilidade de oferecer porto seguro aos migrantes, já que não teve envolvimento na operação de resgate de sexta-feira, esta esteve a cargo do centro de coordenação e resgate da Líbia.

Por sua vez, a Itália recusou receber os migrantes pedindo ao Reino Unido que assuma responsabilidade e o faça, já que o navio navega sob a bandeira do território britânico de Gibraltar.

Já Gibraltar afirmou que irá revogar o registo do navio pois este está registado como navio de investigação e por isso está a violar a lei ao resgatar pessoas.

A organizações não governamentais SOS Mediterrâneo e Médicos sem Fronteiras, que estão a operar o navio, consideram a decisão de Gibraltar uma manobra com motivos políticos, afirmando que há dois anos e meio levam a cabo operações de resgate e nunca lhes foram levantados problemas.

A decisão de Gibraltar terá efeito até à próxima semana, depois da qual o navio reverterá à Alemanha porque o navio é de propriedade alemã. Caberá então à Alemanha decidir se o navio poderá ou não continuar a efectuar operações de resgate no Mar Mediterrâneo.

Por isso, o Aquarius corre agora o risco de ficar de vez em terra.