Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

ONU afirma que investir no clima é vantajoso

ONU afirma que investir no clima é vantajoso
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As Nações Unidas alertam que a adoção de medidas audazes, em relação ao clima, pode gerar benefícios económicos na ordem dos 26 mil milhões de dólares, o equivalente a mais de 22 mil milhões de euros, até ao ano de 2030.

Esta é uma das conclusões do estudo da Comissão Mundial sobre a Economia e o Clima da ONU, publicado esta semana.

O documento sublinha que graças aos novos avanços tecnológicos que surgiram nos últimos anos, a adoção de uma economia mais amiga do ambiente pode criar mais de 65 milhões de postos de trabalho de baixa emissão de carbono e evitar cerca de 700.000 mortes relacionadas com a poluição do ar.

"Hoje, a energia renovável é já frequentemente mais barata do que os combustíveis fósseis, apesar dos subsídios contínuos para combustíveis fósseis. Pode ajudar a fornecer energia a mil milhões de pessoas que atualmente não têm eletricidade. Por exemplo, o Bangladesh instalou mais de quatro milhões de sistemas solares domésticos. Isso criou mais de 115 mil empregos e permitiu que os lares rurais poupassem mais de 400 milhões de dólares em combustíveis poluentes", afirmou o secretário-geral da Organização das Nações Unidas.

António Guterres destacou, ainda, que é necessário estabelecer políticas ambientais para evitar as crises resultantes do aquecimento global.

De acordo com o líder da ONU, mais de 130 das empresas mais influentes no mundo comprometeram-se a usar apenas energia renovável e alguns países, dependentes dos combustíveis fósseis, estão a implementar medidas para diversificar as fontes de energia.

Sublinhou, ainda, que por cada dólar investido na recuperação das florestas, o rendimento poderá alcançar os 30 dólares em benefícios económicos.

Na conferência sobre alterações climáticas, que ocorre em Banguecoque, os cientistas acusaram os países desenvolvidos de não estarem a tomar medidas sérias, colocando em risco o acordo de Paris de 2015.