Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Putin propõe paz ao Japão e semeia discórdia no caso Skripal

Putin propõe paz ao Japão e semeia discórdia no caso Skripal
Tamanho do texto Aa Aa

E, de repente, em pleno Fórum Económico Oriental, o presidente russo surpreende o Japão com uma proposta de paz. Reunidos na cidade russa de Vladivostok, Vladimir Putin apresentou ao primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, um plano concreto para pôr cobro a 70 anos de braço de ferro.

"Estou de acordo com o Shinzo. Ambos queremos concluir o acordo de paz. E, para mim, devemos fazê-lo até ao final deste ano, sem qualquer condição prévia", declarou.

Em causa está o controlo territorial do arquipélago que os russos chamam de Ilhas Curilas e os japoneses de Territórios do Norte. O conflito tem dado origem a vários bloqueios económicos entre os dois países. Shinzo Abe não deu uma resposta oficial à proposta de Putin, não se sabendo se estará muito recetivo a assinar um acordo primeiro e estabelecer os termos depois.

No entanto, o encontro de Vladivostok não trouxe apenas esta surpresa. O presidente russo declarou, ao contrário do que tinha sido afirmado até agora, que afinal o Kremlin conhece os suspeitos do caso Skripal.

"Nós investigámos esses dois homens, sabemos quem são e onde estão. Agora espero que sejam eles a aparecer e a falar em sua própria defesa. Seria melhor para toda a gente. Não há nada de especial, nem de criminoso a revelar, garanto-vos. Mas o tempo dirá", realçou.

Putin acrescentou ainda que os suspeitos são meros civis. Os homens acusados pelos serviços secretos britânicos do envenenamento do antigo espião russo Sergei Skripal e da sua filha foram filmados por câmaras de videovigilância a chegar de Moscovo e a fazer o percurso até ao local do crime.