Última hora

Última hora

Génova homenageia vítimas da queda da ponte Morandi

Em leitura:

Génova homenageia vítimas da queda da ponte Morandi

Génova homenageia vítimas da queda da ponte Morandi
Tamanho do texto Aa Aa

Há um mês Itália viveu uma tragédia. A queda da Ponte Morandi, em Génova, deixou o país de luto. Uma desgraça que fez 43 mortos.

Esta sexta-feira, às 11 horas e 36 da manhã a cidade parou para fazer um minuto de silêncio e recordar cada uma das vítimas mortais.

Alguns sobreviventes lembraram, ao telefone, o que viveram na ponte Morandi.

O bombeiro Davide Capello, de 33 anos, diz que se lembra "perfeitamente de tudo, o barulho ensurdecedor, a estrada que desmoronou à minha frente e do meu carro no precipício. Foram momentos de medo."

Silvio Intiso, de 59 anos, vivia com a mulher e a filha debaixo da ponte Morandi.

Ficou com a casa destruída e mora agora com um amigo.

Ao telefone, recorda: "ouvi um barulho, abri as persianas e vi que a ponte tinha desaparecido. As condições da ponte não eram certamente as melhores: havia fissuras e coisas do género. Gostaria de poder voltar para casa e ir buscar os meus pertences. Por agora vou ficar onde estou e ver o que o futuro trará".

Sepultadas e homenageadas as vítimas, as famílias exigem agora que sejam apuradas, em tribunal, as causas da tragédia.

Ao mesmo tempo, o Governo garante que nas próximas semanas vai nomear um comissário com poderes especiais para que a reconstrução da ponte comece o mais rapidamente possível.