Última hora

Última hora

Encontro entre PM português e presidente angolano

Em leitura:

Encontro entre PM português e presidente angolano

Encontro entre PM português e presidente angolano
Tamanho do texto Aa Aa

António Costa, o primeiro-ministro de Portugal, encontra-se esta terça-feira com o chefe de Estado de Angola, João Lourenço, numa visita oficial de dois dias do chefe do Governo português ao país africano.

O primeiro ato oficial de António Costa foi a homenagem a Agostinho Neto, herói da luta anticolonial e primeiro presidente de Angola, numa cerimónia que durou cerca de 15 minutos. António Costa fez-se acompanhar por vários membros do Governo português.

O encontro entre o presidente de Angola e o primeiro-ministro português tem lugar por volta das 11 horas locais, num momento em que parece ter sido ultrapassada a tensão entre Lisboa e Luanda relativa ao processo por corrupção do antigo vice-presidente angolano, Manuel Vicente.

Como era desejo do Governo de Lourenço, Portugal aceitou a transferência do processo para a Justiça angolana.

Esta terça-feira, Costa é recebido por João Lourenço com honras militares no Palácio Presidencial, depois de uma intervenção num fórum empresarial luso-angolano.

"Problemas ultrapassados"

Aos jornalistas, António Costa disse estar " a construir uma relação de grande confiança política."

O primeiro-ministro português insistiu em que os problemas entre Lisboa e Luanda estão "completamente ultrapassados".

António Costa recordou também que, terça-feira, são assinados acordos bilaterais que representam "um novo impulso nas relações entre os dois países," como o Acordo Estratégico de Cooperação e um conjunto de documentos para reforçar a confiança aos investidores angolanos em Portugal e aos portugueses em Angola."

Devem ser assinados também uma convenção para acabar com a dupla tributação, um acordo para o alargamento de mil para 1.500 milhões de euros da linha de crédito às exportações e um acordo para aumentar as ligações aéreas entre os dois países."

Antes de regressar a Lisboa, o primeiro-ministro desloca-se à Assembleia Nacional de Angola, visita a empresa Angonabeiro e a obra do Instituto Hematológico Pediátrico, construção a cargo da Mota-Engil.