Última hora

Última hora

Trump admite retirar apoio à nomeação do juiz para o Supremo Tribunal

Em leitura:

Trump admite retirar apoio à nomeação do juiz para o Supremo Tribunal

Trump admite retirar apoio à nomeação do juiz para o Supremo Tribunal
Tamanho do texto Aa Aa

A nomeação do juiz Brett kavanaugh para o Supremo Tribunal dos Estados Unidos da América (EUA) parece cada vez mais incerta. Alvo de denúncias de abuso sexual por três mulheres, o juiz conservador viu agora Donald Trump admitir retirar o apoio.

Numa conferência de imprensa realizada esta quarta-feira, à margem da Assembleia Geral das Nações Unidas, o presidente dos EUA revelou que vai assistir ao testemunho de Christine Blasey Ford, uma das alegadas vítimas, que comparece esta quinta-feira numa audiência na Comissão Judicial do Senado.

Caso Trump fique convencido da veracidade das acusações, a nomeação de Kavanaugh pode mesmo cair por terra. "Se eu pensasse que ele era culpado por algo como isto, sim. Quero ver, espero poder assistir à audiência", declarou.

Ainda assim, Donald Trump insistiu que as acusações são falsas, promovidas pelo Partido Democrata, e que Kavanaugh é uma das pessoas “de maior qualidade” que já conheceu.

As palavras do presidente americano surgiram no mesmo dia em que foi conhecida uma terceira acusação ao juiz. Julie Swetnick afirmou que Brett Kavanaugh fazia parte na faculdade de um grupo que tentava embebedar e drogar raparigas para abusarem delas. A funcionária pública disse mesmo ter sido vítima de uma violação numa festa em que o futuro magistrado esteve presente, em 1982.

Igualmente acusado de ter exibido o sexo a uma outra colega da universidade numa festa em Yale, Brett Kavanaugh nega tudo. "Não a conheço, e isso nunca aconteceu", garantiu o juiz em comunicado.

Não convencidos, os democratas pediram imediatamente a suspensão do processo de confirmação do juiz, exigindo um inquérito da polícia federal (FBI) sobre o conjunto das acusações. Já os republicanos mantém o apoio ao juiz, embora alguns membros estejam dispostos a investigar as suspeitas que foram levantadas nos últimos dias.

O caso está a agitar a sociedade americana, face ao peso da nomeação vitalícia para o Supremo Tribunal. A votação para a confirmação de Brett Kavanaugh, de 53 anos, no cargo está prevista para sexta-feira.