EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Grupo de intervenção contra o crime organizado brasileiro

Governo brasileiro quer tornar mais eficiente o combate ao crime organizado
Governo brasileiro quer tornar mais eficiente o combate ao crime organizado Direitos de autor REUTERS/Ricardo Moraes
Direitos de autor REUTERS/Ricardo Moraes
De  Francisco MarquesLusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Brasil registou 63.880 homicídios em 2017, um recorde para o país, e executivo de Michel Temer quer tornar mais eficientes os subsídios das políticas contra as organizações criminosas

PUBLICIDADE

Governo de Michel Temer assina decreto para criar um grupo de intervenção contra o crime organizado no país. O objetivo é reduzir a criminalidade e reforçar a segurança pública.

O grupo terá a responsabilidade de analisar e partilhar dados para a produção de relatórios "com vista a subsidiar a elaboração de políticas públicas e a ação governamental para enfrentar organizações criminosas que afrontam o Estado brasileiro e as suas instituições", de acordo com um comunicado de imprensa divulgado pela assessoria da Presidência.

O decreto determina ainda que o novo grupo será coordenado pelo Gabinete de Segurança Institucional da Presidência e reunirá representantes dos seguintes órgãos do Governo federal: Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Forças Armadas, Ministério da Economia, Receita Federal, e dos departamentos de Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal.

Por se tratar uma prestação de serviço público relevante, os membros não receberão uma remuneração extra, ainda segundo o comunicado.

Brasil bateu recorde sangrento em 2017

O Brasil registou 63.880 homicídios em 2017, um recorde para o país, segundo um relatório divulgado em agosto deste ano pela organização não-governamental Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O Brasil bateu em 2017 o recorde de mortes violentas intencionais, como homicídios e latrocínios, da sua história. Foram...

Publiée par Fórum Brasileiro de Segurança Pública sur Jeudi 9 août 2018

Em média, sete pessoas foram mortas no país por hora no ano passado, elevando a taxa de homicídios em 2,9% entre 2016 e 2017.

Em 2016, aliás, o Brasil tinha registado 61.283 mortes violentas intencionais, lê-se na tabela oficial do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

No total do ano passado, o país registou pela primeira vez uma taxa de 30,8 assassínios por cada 100 mil habitantes.

O Rio Grande do Norte assumiu a liderança dos Estados mais violentos, com uma taxa de 68 homicídios violentos por cada 100 mil habitantes, seguido pelo Acre (63,9) e o Ceará (59,1).

As menores taxas de homicídios violentos foram registadas, em 2017, nos estados de Sáo Paulo (10,7), Santa Catarina (16,5) e no Distrito Federal (18,2).

Embora a violência que resultou em morte tenha crescido no Brasil, o estudo indicou que os gastos governamentais com o financiamento da política de segurança pública no país subiram 0,8%, totalizando 84,7 mil milhões de reais (19,2 mil milhões de euros).

Outras fontes • Observatório da Intervenção, Fórum Brasileiro de Segurança Pública

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Haddad reduz desvantagem nas intenções de voto

Marcha pela paz no Brasil

Um Brasil cada vez mais violento