Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Calçada portuguesa em risco de extinção

Calçada portuguesa em risco de extinção
Tamanho do texto Aa Aa

Uma arte em vias de extinção. A calçada portuguesa continua a ser uma das imagens de marca do país mas o futuro está longe de ser risonho. Desde 1986 que a Câmara de Lisboa mantém uma escola de calceteiros e o crescimento turístico dos últimos anos obriga a esforços redobrados para que a arte sobreviva mas nem por isso tem sido possível contrariar a tendência.

O trabalho é duro e o salário mínimo, a profissão está longe de ser atrativa para os jovens. Se no Século XVIII, Lisboa chegou a contar cerca de 400 calceteiros, hoje resta apenas uma dezena.

A única solução passa por reforçar o investimento e apostar nos artistas que tornam as ruas portuguesas únicas.

A calçada portuguesa remota ao século XV e espalhou-se com os portugueses pelo mundo fora e persiste teimosamente, de Macau aos Estados Unidos, passando obviamente pelo Brasil, com o Calçadão de Copacabana.