EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Comunidade britânica em Portugal preocupada com o Brexit

Comunidade britânica em Portugal preocupada com o Brexit
Direitos de autor 
De  Filipa Soares
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A comunidade britânica no Algarve está preocupada com o futuro, numa altura em que ninguém sabe o que vai acontecer com o Brexit. Há um ano e meio, Rory Stewart criou um grupo no Facebook chamado "British in Portugal" para defender os direitos dos imigrantes britânicos.

PUBLICIDADE

A comunidade britânica no Algarve está preocupada com o futuro, numa altura em que ninguém sabe o que vai acontecer com o Brexit.

Há um ano e meio, Rory Stewart criou um grupo no Facebook chamado "British in Portugal" para defender os direitos dos imigrantes britânicos, mas muitas questões continuam sem resposta.

"Quando deixarmos de ser cidadãos da União Europeia e nos tornarmos cidadãos de países terceiros, como é que isso altera o nosso estatuto, como é que isso altera o nosso direito à residência, às pensões, aos cuidados de saúde, etc.?", afirma Rory Stewart, britânico que vive m Portugal desde 2002.

O Brexit ainda não aconteceu, mas já teve um impacto na vida de Rory: "Sentimos que tínhamos de nos proteger e por causa da queda da libra de mais de 20%, a minha pensão estatal foi atingida. Por isso, tirámos os restantes fundos de pensões do Reino Unido e investimo-los em dois apartamentos que são agora a minha pensão aqui. Alugamo-los a turistas".

Tig James faz parte do grupo criado por Rory. Esta britânica, que tem uma doença auto-imune, mudou-se para Portugal para tentar melhorar a sua condição de saúde. Mas se o Brexit a impedir de receber os apoios sociais que obtém atualmente do Reino Unido, terá de regressar ao país natal. "Se eu tiver de voltar ao Reino Unido, por falta de fundos, vai ser desastroso para a minha saúde, porque as pessoas com a minha doença ou funcionam muito bem no calor, ou funcionam muito bem no frio. Eu funciono muito melhor no calor", desabafa.

Estes migrantes britânicos queixam-se da forma como a Embaixada britânica tem gerido o processo do Brexit. "É chocante a sua falta de entendimento, a sua falta de informação", lamenta Tig. "Temos uma lista de 135 questões para as embaixadas. A maioria continua sem resposta", sublinha Rory.

No próximo dia 18 de dezembro, o embaixador britânico em Portugal vai reunir-se com membros da comunidade britânica para responder a questões e dúvidas sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Paris impõe estado de emergência na Nova Caledónia. Habitantes temem pela escassez de alimentos

Irlanda vai levar a referendo os conceitos de "família" e de "dona de casa"

Suíços votaram a favor do 13.º mês para pensionistas e contra aumento da idade da reforma