Drones em Gatwick constituem ato deliberado e não terrorismo

Drones em Gatwick constituem ato deliberado e não terrorismo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Associação Europeia de Companhias Aéreas Regionais pediu mais legislação sobre a segurança dos drones e afirmou que é necessário tomar mais medidas para que esses aparelhos, controlados por controlo remoto, não consigam chegar perto dos aeroportos e dos aviões.

PUBLICIDADE

O aparecimento de drones que obrigou ao encerramento do aeroporto de Gatwick, em Londres, desde a última noite, é um "ato deliberado" e não terrorismo, garantiu a polícia.

O avistamento de um novo drone, esta manhã, mantém o segundo aeroporto da capital britânica encerrado até estarem reunidas as condições de segurança necessárias.

"Isto dura há 10 horas. Cada vez que nos aproximamos do operador, o drone desaparece. Quando tentamos reabrir o espaço aéreo, o drone reaparece. Estou absolutamente convencido de que é um ato deliberado para atrapalhar o aeroporto de Gatwick", assegura o comandante da polícia do aeroporto, Justin Burtenshaw.

O aeroporto de Gatwick está encerrado desde a última noite. Até ao início da tarde, mais de 200 voos, dos 765 previstos para esta quinta-feira foram cancelados.

Milhares de passageiros desesperam em terra.

No Reino Unido, a utilização de drones perto de aeroportos é punível com uma pena de até cinco anos de prisão.

Em comunicado, a Associação Europeia de Companhias Aéreas Regionais pediu mais legislação sobre a segurança dos drones e afirmou que é necessário tomar mais medidas para que esses aparelhos, controlados por controlo remoto, não consigam chegar perto dos aeroportos e dos aviões.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Gatwick cancela voos por falta de controladores

Greve na Lufthansa afeta 100 mil passageiros

Pessoal de terra da Lufthansa faz greve em cinco aeroportos da Alemanha