EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Violência à Margem de novos protestos dos "coletes amarelos"

Violência à Margem de novos protestos dos "coletes amarelos"
Direitos de autor REUTERS/Gonzalo Fuentes
Direitos de autor REUTERS/Gonzalo Fuentes
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Novo ato de protestos dos "coletes amarelos" em França, este sábado, marcado por ações violentas que provocaram vaga de condenação

PUBLICIDADE

A imagem provocou uma vaga de condenação em França: um manifestante que agride com fortes murros um polícia, durante o último ato de protesto dos "coletes amarelos", este sábado em Paris.

No Twitter, a União Nacional de Superintendentes da Polícia francesa publicou uma imagem do agressor, que identificou como sendo um boxeador profissional e que foi também filmado a dar pontapés a um polícia, que se encontrava caído por terra.

Organizadores, participantes nos protestos e membros da população condenam cada vez mais as ações violentas à margem das manifestações.

Em Saint Nazaire, na Bretanha, uma mulher diz que é "pela democracia, pois é preciso dizer quando não estamos de acordo. Mas queimar, bloquear, bater em polícias não faz qualquer sentido".

Centrando-se nas reivindicações, um "colete amarelo" afirma que "as pessoas querem trabalhar. Quando chegam a uma empresa, numa missão temporária, estão motivadas e são levadas a acreditar num contrato permanente, que não se torna realidade".

Segundo números avançados pelo governo francês, 50.000 pessoas participaram nos protestos, maioritariamente pacíficos, que se produziram por todo o país.

Em Paris, as manifestações ficaram também marcadas pela intrusão violenta no ministério do porta-voz do executivo, Benjamin Griveaux, que denunciou uma "ataque inadmissível contra a República".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mulheres de colete amarelo protestam em França

Chama olímpica ilumina a parada militar do Dia da Bastilha em França

Legislativas antecipadas mergulham França na incerteza política sem primeiro-ministro no horizonte