A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Tentativa de Golpe de estado no Gabão

Tentativa de Golpe de estado no Gabão
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Situação é confusa no Gabão. Um grupo de militares tinha tomado conta da Rádio Nacional durante a noite a anunciado a intenção de criar um Conselho Nacional da Restauração.

Nas últimas horas, o governo anunciou que a situação está sob controlo e que quatro dos cinco militares envolvidos na operação estão detidos.

O porta-voz dos militares justificou a operação pelo vazio de poder deixado pelo presidente Ali Bongo, hospitalizado há dois meses em Marrocos na sequência de um AVC.

Praticamente sem comunicação sobre o estado de saúde do presidente, todo o tipo de rumores foram alimentados nas redes sociais. No dia 31 de dezembro, o presidente pronunciou um discurso ao país a partir do local onde está em convalescença, que os militares consideraram "um espetáculo desolador de tentiva de manutenção no poder".

No momento em que era lida a mensagem foram ouvidos alguns tiros em Libreville e alguns carros blindados bloqueavam a avenida Triomphal, no centro da cidade.

Na ausência do presidente, o Tribunal Constitucional transferiu os poderes presidenciais para o vice-presidente e para o primeiro-ministro.

O poder presidencial do Gabão está nas mãs da família Bongo desde 1967. Ali Bongo sucedeu ao pai, Omar Bongo, em 2009 e foi reelito em 2016, num resultado eleitoral muito contestado pela oposição.