Última hora

Última hora

Cientistas definem dieta saudável para salvar o planeta

Cientistas definem dieta saudável para salvar o planeta
Tamanho do texto Aa Aa

Uma dieta saudável para salvar o planeta. É esta a proposta do primeiro estudo científico à escala mundial sobre o sistema que vai permitir alimentar os 10 mil milhões de pessoas em 2050. Um estudo realizado por 37 cientistas de diversas áreas e oriundos de 16 países, com medidas para salvar o mundo e os humanos que nele habitam.

Johan Rockström, é diretor do Instituto Potsdam para Investigação do Impacto Climático e preside a comissão EAT-Lancet, responsável pelo estudo. "Cientificamente, podemos dizer que temos um sistema alimentar prejudicial para o mundo, é a principal fonte de uma crescente mortalidade prematura, devido a doenças, e de uma menor esperança de vida. Mas também é a causa principal do rápido crescimento dos riscos potencialmente catastróficos para o ambiente. Portanto, mudar para um sistema alimentar saudável e sustentável a nível global é uma necessidade absoluta para as pessoas e para o planeta", afirma

A transformação do futuro exige mudanças no dia-a-dia. Para atingir os objetivos, o consumo de legumes, fruta, nozes e leguminosas terá de duplicar e a ingestão de carne vermelha e açúcar diminuir em mais de 50%.

"Sugerimos aumentos substanciais de nozes, leguminosas, incluindo produtos de soja, porque esses alimentos não só permitem por de lado a carne vermlha, como têm muitos benefícios para a saúde. Têm formas saudáveis de gordura, muitos minerais, vitaminas, fibras. É por isso que esta dieta é tão saudável, ela não reduz apenas a carne vermelha e os laticínios, mas substitui-os por alimentos que muitas pessoas não consomem com frequência, mas que têm benefícios muito positivos para a saúde", defende Walter Willett, Professor de Epidemiologia e Nutrição da Universidade de Harvard e outro dos responsáveis pelo relatório.

A investigação tentou chegar a um consenso sobre os conceitos de dieta saudável e produção sustentável de alimentos, de forma a estabelecer planos de ação na área alimentar.