Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Macedónia: O Acordo de Prespa

Macedónia: O Acordo de Prespa
Tamanho do texto Aa Aa

Foi com aplausos que no dia 17 de junho, do ano passado, se celebrou a assinatura do Tratado de Prespa. O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, e o primeiro-ministro macedónio, Zoran Zaev, colocavam fim a um conflito de 27 anos. Os dois países concordaram com a mudança do nome da Antiga República Jugoslava da Macedónia para República da Macedónia do Norte.

A contenda surgiu após a dissolução da antiga Jugoslávia, em 1991. A antiga província manteve o nome de República da Macedónia o que provocou uma forte contestação na Grécia com milhares de pessoas a protestarem em Atenas e em Salónica. Grande parte dos gregos rejeita que o país vizinho use o étimo "Macedónia", uma vez que designa uma província, no norte do país, e dizem, faz parte do património cultural da Grécia.

O tema inflamou a sociedade helénica, provocando algumas crises políticas. O então primeiro-ministro, Konstantinos Mitsotakis, que defendia a exclusividade grega do étimo "Macedónia", viu o ministro dos Negócios Estrangeiros, Antonis Samaras, abandonar o Executivo em discordância.

Andreas Papandreou, que assumiu a liderança do Governo seguinte, impôs um embargo comercial aos vizinhos do norte sendo obrigado a levantá-lo, 18 meses depois, após os protestos da comunidade internacional.

Em 1993, com o nome provisório de "Antiga República Jugoslava da Macedónia", o país aderiu à Organização das Nações Unidas que serviu de intermediadora num acordo provisório em 1995.

O conflito entre os dois países tem impedido os Governos de Skopje de concretizarem os objetivos de política externa como a adesão à União Europeia ou à NATO.

Em 2006, Nikola Gruevski assume a liderança do Executivo de Skopje fazendo renascer os símbolos históricos da região construindo, por exemplo, estátuas de Alexandre o Grande.

Em 2016, Zoran Zaev é eleito primeiro-ministro do país e com o objetivo de fazer com que o país integre a União Europeia, negoceia e assina, com Alexis Tsipras, o Acordo de Prespa. Após ter sido ratificado pelos parlamentos de Skopje e Atenas, o país assume, em definitivo, o nome de República da Macedónia do Norte.