Última hora

Última hora

Ultimato a Nicolás Maduro

Ultimato a Nicolás Maduro
Tamanho do texto Aa Aa

Espanha, França e Alemanha fazem um ultimato a Nicolás Maduro.

O presidente venezuelano tem oito dias para convocar eleições presidenciais antecipadas. Caso recuse, Madrid, Paris e Berlim vão reconhecer o líder parlamentar Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela.

O presidente do Governo espanhol afirmou, este sábado, que não querem impor ou derrubar governos na Venezuela." Querem democracia e eleições livres naquele país. Pedo Sánchez anunciou que "o Governo espanhol dá a Nicolas Maduro oito dias para convocar eleições livres, transparentes e democráticas. Se isso não acontecer, Espanha reconhecerá Juan Guaidó como presidente da Venezuela encarregado de convocar as eleições ".

O ultimato foi repetido pelo presidente francês Emmanuel Macron, na rede social Twitter, e, também, em comunicado, pelo Executivo germânico liderado por Angela Merkel.

O líder da Assembleia Nacional venezuelana, Juan Guaidó, autoproclamou-se, na quarta-feira presidente interino da Venezuela.

O Brasil, os Estados Unidos da América, o Canadá e grande parte dos países da América Latina já reconheceram o líder da oposição venezuelana como presidente interino do país.

Em contraponto, Rússia e China opõem-se ao que chamam de "ingerência estrangeira" na Venezuela.

A Venezuela atravessa uma profunda crise política e económica, desde 2015. Mais de 2 milhões de pessoas abandonaram o país desde então, segundo dados da organização das Nações Unidas.