Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Setor alimentar preocupado com um "Brexit" sem acordo

Setor alimentar preocupado com um "Brexit" sem acordo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os clientes "serão os primeiros a experimentar a realidade de um 'Brexit' sem acordo." Foi com este alerta, em forma de recado, que os principais supermercados e cadeias de fast-food do Reino Unido chamaram à atenção para a importância de travar uma saída dura da União Europeia.

Numa missiva coordenada pelo Consórcio Britânico do Retalho, assinada em conjunto e enviada aos deputados da Câmara dos Comuns anteciparam "transtornos significativos" nas cadeias de fornecimento com atrasos na entrada de alimentos pela alfândega. O ponto de partida, dizem, para a falta de determinados frescos nas prateleiras ou para o aumento dos preços resultantes de novas tarifas.

De acordo com fontes governamentais no ano passado a União Europeia contribuiu com 30% dos alimentos que chegaram ao Reino Unido. Motivo pelo qual pesos pesados como Waitrose, Marks & Spencer, KFC ou McDonald's, entre outros apelam em uníssono a que se evite o pior cenário.

À falta de um acordo para a saída da União Europeia, o Reino Unido passará a ser regulado pela legislação tarifária da Organização Mundial do Comércio (OMC).