Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Antissemitismo é inaceitável "especialmente na Alemanha"

Antissemitismo é inaceitável "especialmente na Alemanha"
Direitos de autor
REUTERS/Hannibal Hanschke
Tamanho do texto Aa Aa

74 anos depois da libertação do campo de concentração de Auschwitz, a memória foi chamada ao centro do debate político. Wolfgang Schäuble, presidente do Bundestag, a câmara baixa do parlamento alemão, lembrou o primeiro artigo da constituição da Alemanha que defende "a dignidade do homem acima de tudo".

Para Schäuble,"evocar a história é uma obrigação ainda maior quando se torna evidente que ainda existem estereótipos e preconceitos perigosos na nossa sociedade, exclusão e discriminação". O presidente do parlamento diz que existem vários tipos de antissemitismo nos dias de hoje: "um antigo, mas também um novo, imigrante. E ambos são inaceitáveis, especialmente na Alemanha."

Um recado para os tempos de hoje, numa cerimónia emotiva, com testemunhos na primeira pessoa. Saul Friedlander, historiador e sobrevivente do holocausto sublinhou que nos ombros dos alemães cabe uma responsabilidade particular de liderar o caminho. "Todos os sobreviventes do holocausto esperam que os alemães tenham a força moral para continuar a lutar pela tolerância e inclusão; humanidade e liberdade. Em síntese: pela verdadeira democracia," afirmou.

A cerimónia no Bundestag insere-se nas comemorações dos 74 anos da libertação de Auschwitz a 27 de janeiro de 1944.