Última hora
This content is not available in your region

ONU diz que morte de Khashoggi foi premeditada

ONU diz que morte de Khashoggi foi premeditada
Tamanho do texto Aa Aa

A relatora especial das Nações Unidas sobre execuções extrajudiciais anunciou, esta quinta-feira, ter "provas" de que o "assassinato" do jornalista saudita Jamal Khashoggi foi "planeado e perpetrado por funcionários do Estado na Arábia Saudita".

Em comunicado, Agnès Callamard enfatizou que esse "assassinato" foi "premeditado" e constituiu "a violação mais grave do direito mais fundamental de todos, o direito à vida". Em dezembro, os EUA, diziam estar convencidos de que o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman esteve envolvido nesta morte. Khashoggi foi assassinado no interior do consulado saudita em Istambul na Turquia.

Por todo o mundo várias foram as vozes, incluindo organizações não-governamentais, como a Amnistia Internacional, que se levantaram contra este crime hediondo.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.