ONU diz que morte de Khashoggi foi premeditada

ONU diz que morte de Khashoggi foi premeditada
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A relatora especial das Nações Unidas sobre execuções extrajudiciais anunciou, esta quinta-feira, ter "provas" de que o "assassinato" do jornalista saudita Jamal Khashoggi foi "planeado e perpetrado por funcionários do Estado na Arábia Saudita".

PUBLICIDADE

A relatora especial das Nações Unidas sobre execuções extrajudiciais anunciou, esta quinta-feira, ter "provas" de que o "assassinato" do jornalista saudita Jamal Khashoggi foi "planeado e perpetrado por funcionários do Estado na Arábia Saudita".

Em comunicado, Agnès Callamard enfatizou que esse "assassinato" foi "premeditado" e constituiu "a violação mais grave do direito mais fundamental de todos, o direito à vida". Em dezembro, os EUA, diziam estar convencidos de que o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman esteve envolvido nesta morte. Khashoggi foi assassinado no interior do consulado saudita em Istambul na Turquia.

Por todo o mundo várias foram as vozes, incluindo organizações não-governamentais, como a Amnistia Internacional, que se levantaram contra este crime hediondo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Turquia e Arábia Saudita aproximam posições

Noiva de Khashoggi lança livro sobre o jornalista