Os premiados do Festival de Cinema de Berlim 2019

Os premiados do Festival de Cinema de Berlim 2019
Tamanho do texto Aa Aa

Uma forte vertente política e o apoio ao cinema realizado por mulheres fazem parte da imagem de marca da Berlinale. A edição 2019 do Festival Internacional de Cinema de Berlim, presidida pela atriz Juliette Binoche, manteve a tradição.

A homenagem a Agnès Varda

Este ano, a atriz britânica Charlotte Rampling recebeu um Urso de Ouro pelo conjunto da carreira e Agnès Varda foi homenageada numa cerimónia especial onde foi apresentado o documentário "Varda par Agnès", produzida pelo canal Arte. A realizadora francesa de 90 anos recebeu o prémio Kamera pelo seu cinema "único e pessoal".

Urso de ouro para filme político e pessoal

"Synonimes" do realizador israelita Nadav Lapid recebeu o Urso de Ouro para melhor filme e arrecadou igualmente o prémio da Federação Internacional de Críticos de Cinema.

O filme israelita baseia-se na experiência de vida do realizador e conta a história de um antigo militar que rejeita a sua identidade nacional e se muda para França e tem dificuldades em se adaptar à cultura francesa.

"A única coisa que me interessa, no fundo, é a verdade do momento: ir o mais longe possível. Foi desse modo que trabalhámos", contou o realizador.

O filme de Ozon sobre a pedofilia na Igreja Católica em Lyon

O Grande Prémio do Júri foi atribuído a "Grâce à Dieu" de François Ozon. O cineasta francês abordou o escândalo de pedofilia no seio da Igreja Católica, em Lyon, França. A obra retrata a associação "La parole Libérée" que apresentou queixa contra o cardeal Barbarin e mais cinco pessoas por terem tentado esconder os abusos sexuais de um padre.

"É complicado. Da próxima vez vou pensar duas vezes, porque há muitas resistências, muitas reações violentas. Há muita gente que não quer que o filme seja visto. É um combate permanente mas que não é nada se comparado ao combate das verdadeiras vítimas", sublinhou o realizador francês.

Atores chineses premiados em Berlim

A atriz chinesa Yong Mei e o ator chinês Wang Jing Chun receberam o urso de prata para melhores atores pelo desempenho em "So long, my son". O filme do realizador chinês Wang Xiaoshuai retrata a vida de um casal após a morte do único filho, ao longo de três décadas.

Angela Schanelec vence na categoria melhor realização

Angela Schanelec arrecadou o Urso de Prata para melhor realização pelo filme "I was at home, but". A obra retrata a relação entre uma mãe viúva e o filho adolescente.

A edição 2019 da Berlinale marca o fim da carreira de Dieter Kosslick como diretor do Festival Internacional de Cinema de Berlim.