A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Trump acusa o seu ex-advogado de mentir muito ao Congresso

Trump acusa o seu ex-advogado de mentir muito ao Congresso
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

"Estou grato ao presidente Cummings pela oportunidade que me deu hoje, de contar a minha verdade e espero que, como disse o presidente Cummings, isso ajude a curar a América."

Michael Cohen saiu aliviado da audiência no comité de supervisão da Câmara dos Representantes. O ex-advogado de Donald Trump chamou o agora Presidente dos Estados Unidos de "racista", "vigarista" e "traidor" e admitiu ter mentido ao Congresso quando afirmou que as negociações para construir uma torre Trump em Moscovo tinham parado antes do arranque da campanha eleitoral para a Presidência.

E desde Hanói, no Vietname, Donald Trump reagiu ao testemunho do seu ex-advogado.

"Ele mentiu muito, mas foi muito interessante porque não mentiu sobre uma coisa - ele disse "sem conluio" com a fraude russa. E pergunto-me porque é que ele também não mentiu sobre isso, como fez em relação a tudo o resto. Mentiu sobre tantas coisas e fiquei impressionado por ele não ter dito "acho que houve conluio por este motivo ou por aquele...". Mas não disse isso. Ele disse "sem conluio".

Michael Cohen admitiu não ter provas de ligações entre Donald Trump e o governo russo, que estão a ser alvo de uma investigação. Uma audiência de várias horas seguida atentamente por milhares de americanos.

Michael Cohen ainda vai ser ouvido mais duas vezes no Congresso norte-americano, mas à porta fechada. Em maio começa a cumprir uma pena de três anos de prisão depois de confessar ter cometido fraude, evasão fiscal e mentido ao Senado em 2017.