Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Médicos apontam para cura de segundo paciente com HIV

Médicos apontam para cura de segundo paciente com HIV
Direitos de autor
/FW1F/Andrew Heavens
Tamanho do texto Aa Aa

O "Paciente de Londres" é o que os médicos dizem ser o segundo caso de sucesso em todo mundo na cura do HIV.

Desta vez, um homem britânico, identificado como "Paciente de Londres" foi submetido a um transplante de medula óssea de um dador com uma mutação genética rara: Resistência ao vírus HIV.

Já passaram três anos desde que foi feito o transplante e 18 meses desde que o paciente britânico deixou de tomar antirretrovirais. Desde então, nenhum teste revelou a presença do HIV.

O caso do "Paciente de Londres" foi divulgado esta segunda-feira pela revista britânica Nature, mas os médicos são cautelosos e dizem que é "prematuro demais" declarar que o paciente está oficialmente curado.

O "Paciente de Londres" foi submetido ao transplante de medula óssea para tratar a leucemia de que sofria, tal como o primeiro caso de cura de HIV no mundo, Timothy Ray Brown.

"Paciente Berlim", o primeiro caso de cura do HIV

Timothy Ray Brown foi o primeiro caso de sucesso na cura do HIV. Apesar de ser natural dos EUA, ficou conhecido como o "Paciente de Berlim" porque vivia e foi tratado em Berlim.

Timothy Ray estava a fazer quimioterapia contra a leucemia, em 2007. Os tratamentos não funcionaram e Ray decidiu partir para o transplante. Ray foi então submetido a dois transplantes de medula óssea de um dador com uma mutação genética na proteína CCR5, que faz com que a pessoa seja resistente ao HIV.

Timothy Ray Brown

Brown esteve às 'portas da morte' logo após o transplante, por ter tomado um tipo de medicação não adequada, a qual agora nem sequer é usada. Mais tarde começou a mostrar melhorias, e, em 2010, foi dado como totalmente curado do vírus, tornando-se assim o primeiro homem a ser curado do vírus HIV.

Várias pessoas, ao longo dos anos, tentam curar-se com este tipo de tratamento, através de transplante da medula óssea, mas, na grande percentagem dos casos clínicos, o vírus regressa.