Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Ucrânia: Eleições num país em confronto

Ucrânia: Eleições num país em confronto
Tamanho do texto Aa Aa

O nome que sair vitorioso das eleições presidenciais na Ucrânia, este domingo, vai dirigir um país com um conflito ainda em curso e onde há peregrinações constantes a memoriais de vítimas. Mesmo assim, há 39 candidatos a disputar esta pesada herança vivida quotidianamente por uma população desgastada.

Há cerca de 5 anos, as ruas de Kiev não eram tão pacíficas como hoje. Como é que a revolução de Maidan e o conflito armado no leste do país influenciam as escolhas em causa neste escrutínio?

Denis Kondyuk é responsável por um seminário evangélico na capital ucraniana. "Existe um risco enorme de haver muitos votos para os populistas. As pessoas estão cansadas da guerra e dos problemas económicos", aponta.

Há também quem saliente que o país já não vive na dicotomia histórica entre a Europa e a Rússia. Segundo Oleksiy Kovzhun, analista político, "aquelas que eram as escolhas tradicionais - pró-europeus ou pró-russos - já não existem. Já ninguém questiona se a Ucrânia deve ser um Estado autónomo ou um satélite da Rússia. Essa questão dissipou-se completamente".

Kovzhun era amigo próximo de Kateryna Hanziuk, a ativista anticorrupção que morreu em novembro passado na sequência de um ataque com ácido. No entanto, acredita que os momentos críticos que a Ucrânia tem vivido vão ajudar a criar uma democracia mais madura.

"Nós éramos um pedaço da União Soviética. Depois da chamada 'Revolução da Dignidade', acordámos. As pessoas perceberam finalmente que podem mudar as suas próprias vidas e que podem fazer o que for necessário para isso", afirma Kovzhun.

Resta também saber em que condições vai o escrutínio decorrer no território da Crimeia e na parte leste do país, onde os confrontos continuam a decorrer.