A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Nova Rota da Seda: A estratágia chinesa de conquista dos balcãs

Nova Rota da Seda: A estratágia chinesa de conquista dos balcãs
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Minas, pontes, autoestradas, siderurgias, centrais termoelétricas a carvão: os investimentos da China nos Balcãs crescem a olhos vistos, no âmbito do projeto da Nova Rota da Seda, que também envolve a Itália. Uma dor de cabeça para a União Europeia.

De visita à Croacia, onde assinou mais acordos comerciais, o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, afirmou: "Esperamos conectar a iniciativa da Nova Rota da Seda da China com a estratégia de desenvolvimento da Croácia. Gostaríamos de desenvolver a cooperação na construção de infraestruturas, respeitando a independência e a integridade territorial da Croácia."

Entre 2007 e 2017, os investimentos chineses nos balcãs chegaram a 12 mil milhões de euros, dos quais um terço na Sérvia e um quinto na Bósnia. A UE ainda tem uma clara supremacia, com 70% do investimento estrangeiro, na Sérvia, Bósnia e Montenegro, Macedónia do Norte, Albânia e Kosovo, mas os exemplos de negócios da China não faltam:

Em Smederevo, a leste de Belgrado, os chineses compraram a maior siderurgia da Sérvia, pagando 46 milhões de euros e evitando o desemprego a 5.000 funcionários. O Montenegro, onde a dívida pública subiu para 70% do PIB, o país contratou um empréstimo de 800 milhões de euros com um banco chinês, para construir uma auto-estrada.