Última hora

Última hora

"Breves de Bruxelas": Esquerda, consumidor, Frontex, terrorismo

"Breves de Bruxelas": Esquerda, consumidor, Frontex, terrorismo
Direitos de autor
REUTERS/Gonzalo Fuentes
Tamanho do texto Aa Aa

"Por uma Europa do povo, não da capital!”, é o lema do Partido Esquerda Europeia, que apresentou o programa para as eleições europeias, quarta-feira, em Estrasburgo (França). O grupo que agrega as forças comunistas no Parlamento Europeu defende uma União que dê prioridade ao pilar social.

Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas", que passa em revista a atualidade europeia diária. Em destaque estão, também, as seguintes notícias:

  • O Parlamento Europeu reforçou as regras em matéria de defesa do consumidor, incluindo mais transparência nas compras feitas através da Internet. A diretiva esclarece como lidar com qualidade dupla de produtos e estabelece multas que podem atingir 4% do volume de negócios anual do comerciante.
  • As plataformas digitais (sobretudo as multinacionais como Facebook e YouTube) devem remover os conteúdos que promovem o terrorismo no máximo de uma hora após terem recebido uma notificação das autoridades. A medida de luta contra a propaganda extremista foi aprovada pelo Parlamento Europeu com 308 votos a favor, 204 contra e 70 abstenções.
  • A agência europeia Frontex terá um corpo permanente de 10 mil guardas fronteiriços e costeiros efetivos até 2027. Portugal terá de disponibilizar 121 agentes do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). O reforço dos meios de combate ao crime e à migração irregular nas fronteiras exteriores da União Europeia foi aprovado, quarta-feira, pelo Parlamento Europeu.