Última hora

Última hora

Mais um português assassinado em Luanda

Mais um português assassinado em Luanda
Tamanho do texto Aa Aa

Tinha 41 anos, casado com três filhos. Pedro Gonçalves, cidadão português há cerca de 10 anos em Angola, foi o terceiro português a ser assassinado em Luanda no espaço de duas semanas, o quarto desde fevereiro.

O engenheiro da construção civil foi alvo de uma emboscada numa estrada junto a uma empresa de alumínios. Foi alvejado com dois tiros por duas pessoas numa mota. Eram quase 8 da noite de terça-feira.

O português estava a caminho de um bar restaurante frequentado pela comunidade lusa para assistir com companheiros a um jogo de snooker do campeonato de Angola.

Rui Brás, o proprietário, e os amigos não encontram explicação para o sucedido. "O Pedro era uma pessoa calma, ponderada, com sentido de humor, amigo do seu amigo. Não consigo perceber... e nós ficamos a pensar, realmente, pela pessoa que ele era... não encontramos justificação para que isto tivesse acontecido. Assalto? Eu acho que ele não ia reagir ao assalto. Não conseguimos perceber, no sítio, naquele local em si, se o carro ficou atolado na terra", explica.

"Era uma pessoa querida no meio, por todos, na casa muito mais, por todas e mais razões. Enfim, isto é uma tragédia para todos nós", desabafa Fernando Penetra, amigo e capitão da equipa de snooker de Pedro.

Ainda não se sabe o motivo. As autoridades estão na posse de imagens de vídeo vigilância e investigam o homicídio.