EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Netanyahu traz cartoon português ao Dia da Lembrança do Holocausto

Netanyahu traz cartoon português ao Dia da Lembrança do Holocausto
Direitos de autor REUTERS/Ronen Zvulun
Direitos de autor REUTERS/Ronen Zvulun
De  Euronews com Lusa
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, fez um discurso contra o que diz ser um aumento do antissemitismo no mundo e deu como um dos exemplos o trabalho do artista António

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, fez um discurso contra o que diz ser um aumento do antissemitismo no mundo, e deu como um dos exemplos o cartoon do autor português António, durante a cerimónia do Dia da Lembrança do Holocausto, celebrada estes dias 1 e 2 de maio em Israel.

PUBLICIDADE

“Vivemos um paradoxo, admiração por todo o mundo para com o Estado judeu, acompanhada em alguns círculos por um aumento do antissemitismo”, disse Netanyahu, acrescentando: “A extrema esquerda e a extrema direita só concordam num ponto: o ódio aos judeus”.

O primeiro-ministro, que falava numa cerimónia na véspera das comemorações consagradas em Israel à memoria do genocídio, exemplificou o ódio com um ataque que fez um morto numa sinagoga na Califórnia e com o cartoon, publicado no jornal New York Times.

O desenho do autor português, representando o Presidente dos Estados Unidos como se fosse cego e com um quipá na cabeça, sendo guiado por um cão com a cara de Netanyahu, foi publicado no jornal e depois retirado, com um pedido de desculpas. O cartoonista negou que o desenho tivesse qualquer pendor antissemita.

Netanyahu falava no Yad Vashem, o memorial do Holocausto em Jerusalém, na presença dos principais dirigentes israelitas e na véspera da comemoração do “Yom HaShoah”, o dia do holocausto.

O antissemitismo está a aumentar na Europa e na América do Norte, segundo um relatório do Centro Kantor para o estudo do judaísmo na Europa e divulgado pelo Congresso Judaico Europeu.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Quem está errado é o jornal New York Times"

Três feridos graves após atropelamento junto a estação de autocarro em Israel

Hezbollah lança mais de 200 foguetes contra Israel após a morte de um comandante