EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Romenos mostram cartão vermelho ao governo

Romenos mostram cartão vermelho ao governo
Direitos de autor Octav Ganea via REUTERS
Direitos de autor Octav Ganea via REUTERS
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Partido Social-Democrata, no poder, perdeu as Europeias para o Partido Nacional Liberal e viu a reforma do sistema judicial chumbada em referendo.

PUBLICIDADE

Para o Partido Social-Democrata na Roménia uma derrota não veio só. Depois de ter perdido as eleições europeias este domingo para o Partido Nacional Liberal e de ter visto a reforma do sistema judicial chumbada em referendo, o líder do governo foi agora condenado a três anos e meio de prisão por corrupção e abuso de poder.

A sentença de Liviu Dragnea surge um dia depois de os romenos terem mostrado cartão vermelho às medidas do executivo no referendo convocado pelo presidente.

Apesar de o resultado não ser vinculativo, Klaus Iohannis quis saber a opinião dos eleitores sobre as reforma judicial proposta pelo governo, vista por muitos como uma tentativa de travar o trabalho dos tribunais,

Em causa está, por exemplo, um projeto-lei destinado a ilibar governantes ou deputados acusados de corrupção. Uma proposta conveniente ao Partido Social-Democrata, onde vários políticos estão envolvidos em processos judiciais.

As medidas tinham já sido reprovadas pela oposição e por Bruxelas, preocupadas com o enfraquecimento do combate à corrupção na Roménia.

As eleições não terminaram sem polémica. Em várias cidades europeias, milhares de romenos esperaram horas em fila para poder votar sem conseguir chegar às urnas. Mas, apesar dos apelos, a Comissão Eleitoral não estendeu o prazo para os eleitores cumprirem o direito ao voto.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Líder do Partido Social Democrata romeno é preso

Mundo da internet mobiliza-se na Roménia para as Europeias

Romenos protestam contra mudanças no sistema judicial