Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Restos mortais de Jonas Savimbi já repousam em Lopitanga

Restos mortais de Jonas Savimbi já repousam em Lopitanga
Direitos de autor
AMPE ROGÉRIO / LUSA
Tamanho do texto Aa Aa

Familiares, Militantes da UNITA e simpatizantes testemunharam, este sábado, a concretização de um desejo do seu fundador.

Os restos mortais de Jonas Malheiro Savimbi repousam agora em Lopitanga.

Isaías Samakuva, presidente da UNITA, desvalorizou qualquer associação do ato à política, e considerou que é apenas o fim de um luto que já durava há 17 anos.

Samakuva justificou dizendo que "Quando as pessoas têm um funeral, independentemente do funeral, elas não ficam felizes. Quando o corpo desce à sua eterna residência, aí sim toda gente fica feliz"

Já o analista político e especialista em conflitos em África Dr. Piero Gleijeses, Professor de Política Externa Americana e da Escola de Estudos Internacionais Avançados da Universidade Johns Hopkins. considera que trata-se de um evento que passa ao lado da comunidade internacional, por se desconhecer a história de Angola. Disse ainda que "o líder fundador da UNITA, fez aliança com os portugueses, com os sul-africanos, com os americanos. Nunca esteve ao serviço dos outros. Estava a servir os seus próprios interesses."

"Os documentos norte-americanos não esclarecem se Carter, contra a lei norte-americana, estava a dar assistente a Savimbi no final dos anos 70. É o que dizem os agentes dos serviços secretos sul-africanos".

Para o historiador americano Gleijeses, "não há dúvidas quanto às violações de direitos humanos, Esta é uma coisa profundamente desonesta, porque é verdade que o MPLA era repressivo, mas o nível de repressão de Savimbi, o nível de crueldade de Savimbi, nas zonas que ele controlava, não tinha comparação".