Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

União Europeia processada por mortes no Mediterrâneo

União Europeia processada por mortes no Mediterrâneo
Direitos de autor
REUTERS/Darrin Zammit Lupi
Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia e os Estados Membros enfrentam uma ação judicial pela morte de milhares de pessoas no mar Mediterrâneo.

O documento de 245 páginas foi já submetido no Tribunal Penal Internacional e procura determinar os responsáveis pela criação da alegada "rota migratória mais mortífera do mundo", em 2014.

Os responsáveis pela queixa são dois advogados, Omer Shatz e Juan Branco, um conhecedor dos meandros do sistema que já trabalhou no ministério dos Negócios Estrangeiros francês e no Tribunal Penal Internacional.

"Nessas estruturas de poder, é muito difícil para os agentes externos determinar quem, nos bastidores, decidiu. Portanto, o que fazemos é determinar que existia uma política, um duplo discurso e deixarmos para o procurador, ou procuradora, se ele, ou ela se atreverem, entrar nessas estruturas de poder e investigar no coração de Bruxelas, de Paris, de Berlim e de Roma, e ver, através de uma pesquisa aos arquivos das reuniões das negociações, quem é que foi responsável por fazer passar essas políticas que levaram à morte de mais de 14 mil pessoas, de acordo com as estimativas mais conservadoras", afirma.

A acusação de *crimes contra a humanidade" baseia-se em documentos da agência europeia para o controlo das fronteiras.

A Frontex terá alertado os Estados Membros para o aumento do número de vítimas no Mediterrâneo com o fim da política de resgate de migrantes levada a cabo por Itália. A missão "Mare Nostrum", que, num ano, permitiu resgatar cerca de 150 mil pessoas e que foi abandonada depois de o governo italiano concluir que não tinha ajuda do bloco para cofinanciar os custos.