Pelo menos sete mortos em naufrágio perto de Lesbos

Pelo menos sete mortos em naufrágio perto de Lesbos
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A guarda costeira da Grécia conseguiu salvar 57 pessoas

PUBLICIDADE

Pelo menos sete pessoas, incluindo duas crianças. morreram quando um barco que transportava mais de 60 migrantes virou e afundou perto de Mitilene, a capital da ilha grega de Lesbos.

A guarda costeira da Grécia recebeu o alerta do acidente ao início da manhã desta terça-feira e chegou a a tempo de salvar 57 passageiros.

Nas operações de busca estiveram envolvidos um helicóptero e cinco navios de resgate. Os sobreviventes foram assistidos e registados no porto de Lesbos.

As informações foram avançadas por Nikos Lagadianos, porta-voz da Guarda Costeira da Grécia.

"Os barcos patrulha da guarda costeira grega, as tripulações dos navios da Frontex e o navio da equipa de salvamento grega salvaram um total de 57 pessoas em boas condições".Sete pessoas: quatro mulheres, um homem e duas crianças foram retiradas da água inconscientes e foram transportadas para o hospital de Mitilene. Mais tarde, o hospital confirmou a morte destas sete pessoas".

Para o representante do Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados em Atenas, esta tragédia "lembra de forma dolorosa que as pessoas continuam a fazer viagens perigosas para chegar às ilhas gregas do Egeu". Para Philippe Leclerc, "são necessários esforços redobrados para garantir formas seguras e legais de chegar à Europa, e para que as pessoas deixem de arriscar as vidas nas mãos de traficantes impiedosos".

Segundo dados da Organização Internacional para as Migrações, este ano, mais de 540 pessoas morreram ao tentar atravessar o Mar Mediterrâneo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ilhas gregas fazem 1º protesto desde o início da crise migratória

Incêndio em prédio de 14 andares em Valência faz pelo menos quatro mortos

Mãe de Alexei Navalny pede à justiça entrega do corpo