A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

CE empenhada em resolver o problema dos migrantes a bordo do Sea Watch 3

CE empenhada em resolver o problema dos migrantes a bordo do Sea Watch 3
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia reforçou o empenho na resolução do diferendo que opõe Itália a outros países membros da União Europeia. Em causa estão os 42 migrantes a bordo da embarcação da ONG alemã Sea Watch resgatados no Mediterrâneo há duas semanas.

A jornalista da euronews, Elena Cavallone, colocou a questão à porta-voz do executivo europeu que leu uma declaração do comissário europeu para as migrações, Dimitris Avramopoulos.

"A Comissão está envolvida de perto na coordenação entre os estados-membros com vista a encontrar uma solução para os migrantes a bordo do Sea Watch 3, uma vez em terra. Alguns estados-membros já manifestaram vontade em participar nos esforços de solidariedade. Uma solução só é possível após o desembarque. É por isso que espero que a Itália contribua para uma solução para aqueles que se encontram a bordo. Ao mesmo tempo apelo à solidariedade de outros estados-membros", afirmou a porta-voz da Comissão, Natasha Bertaud.

Para o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, Vincent Cochetel, a prioridade é desembarcar os migrantes não apenas em Itália mas em qualquer país de ambos os lados do Mediterrâneo.

"Para o tribunal dos Direitos Humanos tem que haver um risco iminente à vida dos migrantes e o tribunal considera que esse risco não existe. Não estou a bordo do Sea Watch e não sei se as pessoas estão em risco de vida ou não. Para mim, o problema destas pessoas, tal como de outros resgatados no Mediterrâneo, é que devem ser desembarcados de forma planeada e rápida, não apenas em Itália mas em qualquer estado costeiro dos dois lados do Mediterrâneo" adiantou o enviado especial.

O ministro italiano do Interior recusa-se a autorizar o desembarque dos migrantes em território italiano a não ser que os migrantes sejam transferidos de imediato para a Alemanha ou Holanda.