A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Centro de Madrid volta a estar aberto a todos os carros

Centro de Madrid volta a estar aberto a todos os carros
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Estamos no centro de Madrid. Até agora, aplicavam-se aqui restrições ao tráfego automóvel, mas a nova administração conservadora da cidade, suspendeu os programas anti-poluição e o tráfego voltou a ser livre.

Mari Carmen Girón, dona de uma loja de móveis na zona até agora de baixas emissões de carbono, concorda com o fim do plano: "Com esta medida, não reduziram a poluição, só estamos a criar um gueto para os pequenos comércios. Se não acabam com isto, não sabemos quanto tempo vamos durar", diz.

A coligação de direita agora no poder em Madrid mandou retirar também as câmaras de tráfego que tinham sido instaladas pela administração da antiga Presidente da Câmara Manuela Carmena, praticamente pondo fim a todo o projeto.

"O que estamos a pedir com esta nova situação política é que se repense todo o esquema e se procurem novas soluções, se tomem novas decisões, para que se torne mais suportável", diz Pascual Medel, da "Plataforma de cidadãos afetados pelo plano Madrid Central".

Já para o grupo "Ecologistas en Acción", não é verdade que o programa Madrid Central não tenha feito nada contra a poluição. Os níveis de óxido de azoto terão mesmo baixado para metade. O novo executivo ainda não escolheu um plano alternativo. Os militantes ecologistas organizaram uma marcha para pedir a manutenção do plano.

"Conseguiu-se reduzir muitíssimo a poluição. O paradoxo é que nenhuma destas zonas de baixas emissões na Europa foi suspensa e vão suspender aquela que melhores resultados teve nos primeiros seis meses. Não faz qualquer sentido", conta Paco Segura, porta-voz do grupo.

Nas ruas de Madrid, as reações são diversas: "Para nós, que trabalhamos, não nos deixam fazer o nosso trabalho. É tão simples como isso", diz um motorista. Uma outra habitante de Madrid tem uma opinião contrária: "Vamos voltar ao mesmo de antes: Respirar combustível".

Todos os carros vão poder voltar ao centro de Madrid sem poderem ser multados, mas o programa Madrid Central não é tão fácil de reverter.

"A Gran Vía de Madrid tornou-se um símbolo do programa Madrid Central. A reforma de Manuela Carmena tirou espaço aos carros para dar aos peões, que agora têm passeios mais largos. Sem restrições ao tráfego, esta rua pode vir a ser um pesadelo para os condutores. Esse não é o único problema para o novo executivo: A União Europeia advertiu Espanha e Madrid que pode sofrer sanções, se não puser em marcha um plano credível contra a poluição", explica o correspondente da euronews em Madrid, Jaime Velázquez.