Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Balcãs Ocidentais debatem integração na UE

Balcãs Ocidentais debatem integração na UE
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Ministros e chefes de Governo de seis países dos Balcãs Ocidentais e de outros Estados europeus estão reunidos na Polónia, para analisar as relações entre a União Europeia e esta área dos Balcãs.

Bruxelas quer aumentar a influência na região, mas não está sozinha, como realça o professor universitário Tibor Ördögh: "A Rússia também intensificou as suas atividades assim que percebeu o fortalecimento das relações ocidentais. Prova disso é a tentativa de golpe em Montenegro durante o período de adesão à NATO. Este ano, houve detenções no Kosovo pela parte russa, também com este objetivo. Na Macedónia, estão a perder terreno desde que o Gruevski partiu e o seu partido, o VMRO, enfraqueceu. Não têm as cabeças-de-ponte que tinham antes".

O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, é muito amigo do presidente da Sérvia, Aleksandar Vucic. O húngaro trata a União Europeia como um inimigo, embora faça parte dos 28, enquanto o sérvio espera juntar-se ao bloco.

Na semana passada, a Hungria recusou extraditar o antigo primeiro-ministro da Macedónia, Nicolas Gruevski, um aliado de Viktor Orbán,

Gruevski fugiu para Budapeste com a ajuda de diplomatas húngaros, para escapar a uma pena de prisão por abuso de poder.

O primeiro-ministro da Macedónia do Norte, Zoran Zaev, tem insistido na extradição do antigo dirigente, também indiciado noutros dossiês sobre corrupção, abuso de poder e escutas ilegais.

Entretanto, Viktor Orbán recebeu o nacionalista Milorad Dodik, que ocupa o lugar reservado aos sérvios na presidência colegial da Bósnia-Herzegovina. Dodik é considerado pelo Ocidente um aliado do presidente da Rússia, Vladimir Putin.