Sánchez abre a porta a novos entendimentos

Sánchez abre a porta a novos entendimentos
Direitos de autor 
De  Teresa Bizarro
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O líder do PSOE tenta recuperar do falhanço da coligação com o Podemos

PUBLICIDADE

Depois de dois chumbos no Congresso, Espanha pode ter de voltar às urnas para escolher um novo governo. Pedro Sánchez, líder do PSOE, aceitou a 6 de junho a responsabilidade de formar governo, mas esta quinta-feira falhou a segunda votação de investidura, sem acordo com o Unidas Podemos.

Esta sexta-feira, Felipe VI recebeu a presidente do Parlamento, mas adiou a ronda de audiências aos partidos. Com esta decisão, o Rei de Espanha estendo o prazo para novos entendimentos. Com o atual parlamento, a investidura terá de acontecer até 23 de setembro.

Sánchez mostra-se disponível para explorar novos caminhos. O líder socialista diz que "há motivos para procurar acordos com o PP, Ciudadanos e Podemos".

Os analistas dizem que podem ser os partidos tradicionais a salvar o sistema. Ouvido pela Euronews, Fernando Vallespín diz que há a possibilidade de um dos maiores partidos de direita se abster, porque "é uma falha do sistema político como um todo" se houver uma nova eleição em Novembro. "Temos de nos lembrar que tivemos três eleições gerais nos últimos três anos. Ter de enfrentar uma quarta seria não só um falhanço para o sistema, mas também para uma geração inteira de políticos", afirma.Se todos os entendimentos falharem , a Espanha volta às urnas a 10 de novembro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espanha vai de férias ainda sem governo

Espanha: Pedro Sánchez falhou a investidura como chefe do governo

Um arquiteto juntou-se a 17 famílias e nasceu a primeira cooperativa de habitação em Madrid