EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Londres já trabalha a pensar que não vai haver acordo com Bruxelas

Londres já trabalha a pensar que não vai haver acordo com Bruxelas
Direitos de autor REUTERS/Stefan Rousseau/Pool/File Photo
Direitos de autor REUTERS/Stefan Rousseau/Pool/File Photo
De  Teresa Bizarro
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Boris Johnson nomeou Michael Gove, o ministro do Ambiente e Agricultura, para preparar uma saída da União Europeia sem entendimento prévio

PUBLICIDADE

Uma saída da União Europeia sem acordo a 31 de outubro. É com este pressuposto que o governo britânico, agora liderado por Boris Johnson está a trabalhar no Brexit.

Michael Gove recebeu esta semana mais do que a pasta do Ambiente e Agricultura. O chefe do executivo entregou-lhe a tarefa de preparar uma saída de costas voltadas para Bruxelas.

euronews
Michael Gove diz que está a trabalhar, "partindo do princípio" que não vai haver acordoeuronews

As palavras o ministro na imprensa deste domingo depressa ecoaram, principalmente na Irlanda do Norte, que sem acordo, vê erguer-se uma fronteira física com a vizinha Irlanda.

Leo Varadkar, primeiro-minstro da Irlanda, diz que um Brexit sem acordo põe em risco muito mais do que a relação com os países da União Europeia. "Penso que se houver um Brexit sem acordo, a 31 de outubro; se o Reino Unido puser a Irlanda do Norte fora da União Europeia contra os desejos da maioria das pessoas no território, tira-lhes a cidadania europeia e ao fazê-lo mina o Acordo da Sexta-feira Santa. Essas questões vão emergir e temos de estar preparadas para elas," afirma Varadkar.

Londres e Bruxelas não se entendem sobre a relação entre as duas Irlandas em matéria de circulação de pessoas e bens, depois do Brexit. O Acordo de Sexta-feira Santa, foi assinado a 10 de abril de 1998, pondo fim a décadas de conflito entre unionistas e nacionalistas. À cabeça tem como princípio que o futuro constitucional da Irlanda do Norte deverá ser decidido pelo voto dos seus cidadãos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Boris Johnson sofre primeira derrota eleitoral

Boris Johnson não quer "backstop"

União Europeia critica Boris Johnson sobre Brexit