A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Frelimo e Renamo assinam acordo para a paz definitiva em Moçambique

Frelimo e Renamo assinam acordo para a paz definitiva em Moçambique
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A paz definitiva está mais perto de Moçambique. Os líderes do governo e da oposição assinaram, esta terça-feira, em Maputo, um acordo para selar a reconciliação entre os dois partidos e por fim ao conflito armado que divide o país desde 1977.

A Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) e a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) tinham-se já comprometido formalmente com o fim das hostilidades, na semana passada.

Agora, perante representantes da comunidade internacional, Filipe Nyusi e Ossufo Momade assinaram o terceiro acordo de paz entre as duas partes, após duas tentativas falhadas em 1992, com o Acordo Geral de Paz de Roma, e em 2014. com o acordo de cessação das hostilidades militares.

O líder do braço armado da Renamo, já contestou o reatamento de relações. Mariano Nhongo recusou-se a entregar as armas e avisa que só irá fazê-lo depois das eleições para a presidência do próprio partido.

A União Europeia mantém-se, contudo, otimista em relação à paz no país. Para a concretização do processo, a Comissão está a disponibilizar 50 milhões de euros, com vista a apoiar o desenvolvimento económico local, reintegrar antigos combatentes e promover a reconciliação.