A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Governo iraniano não descarta Síria como destino do petróleo

Governo iraniano não descarta Síria como destino do petróleo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois de ordem de liberdade para partir, ainda não se sabe qual o destino do petroleiro iraniano que tinha sido apreendido por Gibraltar.

O navio, já com um novo nome e com um novo pavilhão, carregava dois milhões de barris de petróleo iraniano que teriam como destino a Síria, o que violaria as normas da União Europeia.

Depois do acordo e depois do petroleiro ser libertado, as negociações são contadas de maneira diferente.

O chefe do governo de Gibraltar, Fabian Picardo, disse que tinha recebido uma promessa escrita de Teerão de que o petróleo não seguiria para a Síria depois de libertado. Mas, o porta-voz da diplomacia iraniana, veio, mais tarde, negar tal promessa.

"O Irão não deu nenhuma garantia de que o 'Grace 1' não seguirá para a Síria", declarou o porta-voz da diplomacia iraniana, Abbas Musavi, ao canal público IRIB.

O irão esclareceu, e disse que o destino inicial do petroleiro nunca foi a Síria, e, mesmo que fosse, ninguém tinha nada a ver com o caso.

"O destino do petroleiro não era a Síria (...) e, mesmo se fosse o caso, não é da conta de ninguém", frisou.

Ainda não se sabe para onde e quando parte o navio iraniano, apenas se sabe que partirá para o mediterrâneo, como afirmou o vice-diretor dos portos iranianos.