A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Tunisinos escolhem domingo o novo presidente

Tunisinos escolhem domingo o novo presidente
Direitos de autor
REUTERS/Muhammad Hamed
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Tunísia, berço da Primavera Árabe, prepara-se para eleições presidenciais este domingo com 26 candidatos a pretenderem o cargo de chefe de Estado.

Entre os candidatos está o magnata dos media, Nabil Karoui, que se encontra detido, acusado de evasão fiscal e lavagem de dinheiro.

Também corre à presidência o primeiro-ministro Youssef Chahed, num momento em que os tunisinos estão bastante desencantados com o caminho da democracia.

Mohamed Moncef Marzouki, que foi o presidente interino entre 2012 e 2014, também se apresenta à eleição, pedindo ajuda à União Europeia para a jovem democracia tunisina.

"Apoiar a democracia na Tunísia é apoiar uma economia nacional capaz de absorver o desemprego e acabar com a pobreza. Porque a pobreza e o desemprego produzem terrorismo e imigração que a Europa não quer, então se não quer receber grupos de imigrantes e ser prejudicada por qualquer tipo de terrorismo, deve fornecer o potencial para estabilizar a democracia através de uma economia forte e isso é muito simples."

Os sete milhões de eleitores tunisinos são chamados às urnas na sequência da morte do presidente Beji Caid Essebsi, em julho passado.

Esta eleição presidencial poderia ser um recomeço político para a Tunísia, mas a democracia tem tardado melhorar a vida dos tunisinos e teme-se que a taxa de abstenção possa ser bastante elevada.